sexta-feira, 18 de julho de 2014

A morte - Para uma criança de 5 anos

O assunto da morte surgiu quando o Brutus caiu na piscina... De lá pra cá Davi vira e mexe pergunta sobre ela.
Para onde nós vamos? Vai demorar? La tem escola? posso levar minha casa? e meus brinquedos? Mas quando morremos não abrimos mais os olhos certo? Mas abrimos no céu? Por que? Mas não quero morrer!!! Mãe você vai me dar aquele brinquedo? mas se demorar e eu morrer?

Confesso que fico perdida com tantas perguntas rs...
Tenho que dizer que sou muito apegada as coisas... Detesto mudar qualquer coisa... Isso inclui carro, casa, moveis, lugares, tudo rs... E mesmo não deixando transparecer isso para Davi, ele puxou esse lado, nós em uma conversa na noite de ontem.

-Mãe posso levar meus brinquedos?
- Não filho!
-Mas por que?
- Ah, lá tem brinquedos novos...
- Mas eu não quero brinquedos novos, eu quero os meus, só os meus, com a minha tv, meu quarto.

Mas o que me preocupa de verdade é muitas vezes nessa conversa, por mais que eu tente mostrar um lado bonito da história, sinto que ele tem muito medo.

E por ai? essa conversa já aconteceu? o que falaram? Tem algumas dicas pra mim? Socorro!!! rs

13 comentários:

  1. oi Rafa

    Falar sobre morte com crianças é complicado.
    Sugiro a leitura juntamente com ele de livros que abordem esse tema.
    Deixo dicas de alguns:

    A história de uma folha" (Leo Buscaglia)
    "Tempos de Vida" (B.Mellonie e R. Ingpen), em que a morte é abordada como parte do ciclo vital.
    ‘Vovô foi viajar’, de M. Veneza
    ‘Cadê meu avô’, de Lídia Carvalho

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  2. Ah dá uma olhadinha aqui

    http://www.ebc.com.br/infantil/para-pais/2012/10/livro-de-ziraldo-ajuda-a-explicar-a-morte-para-criancas

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  3. É muito dificil mesmo essa historia, mas tem que achar um jeito de mostrar que é algonatural da vida..
    Beijo
    ;)
    www.umalindapromessa.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Rafaella!
    Ainda não tive essas conversas com a Sofia, mas com a Julia falei a verdade de uma maneira que ela entendesse mas sem entrar em muitos detalhes só foi respondendo conforme as dúvidas dela vinham aparecendo de forma natural para não assusta-la e para que ela não ficasse com medo.
    Bjs
    http://pequenasofiaemanuelle.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Como explicar né? Deve ser difícil demais...rsrs....
    O desconhecido dá medo até na gente, imagine nas crianças!!

    beijos!!
    Gábi

    ResponderExcluir
  6. Medo todos temos Rafa, o importante é vc ir trabalhando isso na mente dele!
    Beijoos e bom final de semana ♥

    ResponderExcluir
  7. Crianças quando vai crescendo começa aquela face de perguntas, os pais precisam saber li dar com essas perguntas, o melhor é explicar tudo devagar para a criança, Rafaella bom final de semana beijos.
    Blog /Fan Page / Twitter /

    ResponderExcluir
  8. Ai Jesus! Quantas perguntas! Filhos nos deixam enlouquecidas de tantos questionamentos! Por aqui são tantas perguntas que chego a ficar cansada! Mas, sobre a morte não teve muitas não. Só algumas que logo passaram. Eu já li que é comum crianças a partir de 5 anos temerem a morte. E que a posição dos pais deve ser de dar respostas curtas, simples e de acordo com a religião de cada um. Sobre as intermináveis perguntas de Davi, eu sugiro que você responda sim de acordo com a crença de vocês e depois diga que não tem certeza de como tudo acontece. Afinal, a morte é um mistério para todos. Assim, creio que as perguntas cessarão. Pois não temos mesmo todos as respostas. Beijo e boa sorte aí com o garotão curioso! rs

    ResponderExcluir
  9. A verdade em todas as historias tem que existir isso é o mais importante e falar do seu jeito não profundo mais claro bom final de semana.
    Blog: http://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br
    Canal de youtube: http://www.youtube.com/NekitaReis

    ResponderExcluir
  10. O i Rafaella, essas perguntas sempre aparecem entre os pequenos. Aqui tento levar com leveza, falando sobre o céu e Papai do Céu... Mas esse assunto não aparece constantemente...
    Maria só chora quando se lembra do seu peixinho Edgar que morreu...
    E ela nem chegou a conviver com ele.. foi apenas 1 ou 2 dias...
    Esses dias chorou também por medo da cachorrinha do vovô morrer, pois gosta dela..

    Mas acho que as vezes fica mais sensível pois o avô está doente e tudo contribui para deixar a criança assim..

    O melhor é desapegar mesmo de certas coisas e não deixar que a criança se apegue também.. talvez isso ajude a tornar as coisas mais leves..

    Obrigada pela visita ao Bolhinhas...volte sempre...beijos

    ResponderExcluir
  11. Oi Rafaella, Clara uma vez começou a falar muito em morte tb, ficou curiosa sobre o assunto. Eu tentei responder as perguntas dela e muitas vezes eu dizia que não sabia mesmo o que ia acontecer. As vezes ela fala sobre os avós paternos, que já morreram. Diz que eles moram na lua, e que temos que ter um foguete pro papai ir visita-los, pois ele está com saudades. A gente fica com o coração apertado de falar sobre esses assuntos ruins com eles né.
    Abraços

    ResponderExcluir
  12. já tive sim amiga
    não é necessário falar a verdade nua e crua
    mais numa maneira que el entenda
    e para saber se a resposta o tranquiliza ele não vai mais perguntar aquilo caso não fale a ela que vai responder depois
    ai vc pensa na melhor maneira de responder
    mais nunca deixe de responder

    *´¨)*Linda Noite!
    ¸.•*¸.• ?´¨).• ?¨) Beijokas da Nanda
    (¸.•´*(¸.•´*(.¸. •*
    Mamãe de Duas

    ResponderExcluir
  13. Rafa, acho que as respostas a estas questões passam principalmente pelos nossos ( pais ) valores, crenças, religiosidade.
    Acho natural que em algum momento da infância apareça esta questão.
    Aqui em casa, pelo fato dos meus pais já terem morrido, meus filhos logo perceberam a ausência de avós e então surgiu as questões que respondi de acordo com o acredito e sinto e isso eles assimilaram: cada família tem um entendimento da morte porque certamente eles encontrarão outros significados em outras famílias.
    Beijo!

    ResponderExcluir

Davi e eu adoramos sua visita...